Últimas Notícias
Inec realiza distribuição de 20.850 litros de bebidas doados pela Coca-Cola para Campanha Brasil Sem Fome
Home Últimas Notícias Inec realiza distribuição de 20.850 litros de bebidas doados pela Coca-Cola para Campanha Brasil Sem Fome

 

Dando continuidade às ações do Brasil Sem Fome, o Instituto Nordeste Cidadania (Inec), principal articulador da campanha nos estados de Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, realiza, neste sábado (19), a entrega de 20.850 litros de bebidas (sucos e água) doados pela Coca-Cola, para 11 instituições sociais de Fortaleza, Maracanaú e Caucaia. Dentre elas, estão: o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Maracanaú, o Centro de Promoção Cultural e Vivência Ecológica de Caucaia e a Associação Intercomunitária São Sebastião, o Projeto Comunitário Sorriso da Criança, Projeto Ceará Vida Solidária, Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará, Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim e outras. A ação acontece como forma de amenizar os impactos da pandemia sobre a população mais atingida, que além dos riscos inerentes à crise sanitária, também sofre com a insegurança alimentar.

A Coca-Cola é uma das empresas parceiras do Brasil Sem Fome desde o seu lançamento, em fevereiro, e tem contribuído de forma constante com a doação de itens para compor as cestas básicas que são distribuídas pelo Inec para as famílias e instituições de acolhimento a pessoas em situação de vulnerabilidade social. Só entre maio e abril, a marca doou cerca de 159.060 litros de água e sucos para a campanha.

Por sua vez, o Brasil Sem Fome é uma ação ininterrupta e de alcance nacional promovida pela ONG Ação da Cidadania para combater a extrema pobreza e a insegurança alimentar no País. Junto à rede de parceiros e articuladores, como o Inec, tem ajudado o Brasil a enfrentar os problemas sociais e econômicos agravados pela pandemia.

Em âmbito nacional, a ação conta com a parceria de duas agências da ONU, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA). Organizações e empresas como Ifood, AME, Mastercard, Lojas Americanas, Camil, Rede de Shoppings Ancar Ivanhoe, Fiocruz e CBF também participarão nacionalmente de toda a Campanha. No Ceará a iniciativa conta, ainda, com a parceria da Ticket, Camed Corretora, Defesa Civil do Ceará, Super Lagoa, Movimento ODS Ceará e Conselhos de Segurança Alimentar e Nutricional (Conseas) do Ceará e de Fortaleza.

Como doar

No site www.inec.org.br ou no site https://www.brasilsemfome.org.br/, empresas e pessoas interessadas em ajudar a ação, podem efetuar doações em dinheiro. Todo o valor é revertido na compra de cestas básicas que serão entregues a famílias em situação de vulnerabilidade social em todo o Brasil que foram mapeadas e cadastradas pela Campanha. Doações de alimentos não perecíveis também são bem-vindas. No Ceará, elas podem ser entregues, na Sede do Inec, localizada na Av. Dr. Silas Munguba, 3500, bairro Itaperi. No restante do Brasil, além do Comitê Nacional da Campanha, vários comitês regionais estão espalhados pelos estados e podem ser acionados para receber os alimentícios. Para ver a lista dos postos de coleta, basta acessar o link https://www.brasilsemfome.org.br/postos-de-coleta/ e combinar a entrega com o comitê mais próximo.

Mais dados sobre a extrema pobreza no Brasil

 

O problema da extrema pobreza e da insegurança alimentar têm alcançado números cada vez mais alarmantes. Segundo projeções da Fundação Getúlio Vargas (FGV), baseadas em dados das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (Pnads) Contínua e Covid-19, em fevereiro deste ano, o País chegou a 27,2 milhões de pessoas – 12,8% dos brasileiros – vivendo com menos de R$ 246 ao mês, ou somente R$ 8,20 ao dia. Esse número é 11% superior ao constatado em 2019, período antes da pandemia. Diante desse cenário, o objetivo da Campanha é fazer doações de cestas básicas para todo o país de forma ininterrupta.

A situação da miséria no País também é reflexo do aumento do desemprego que bateu recorde em 2020, em pelo menos 20 dos 27 estados brasileiros, de acordo com levantamento divulgado no dia 10 de março, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa média anual de desocupação do país em 2020 foi de 13,5%, a maior de toda a série histórica da Pnad. Outro fator que impactou a elevação da taxa de pobreza extrema no Brasil em 2021 foi o fim do auxílio emergencial pago pelo governo durante o ano passado.

Em 2019, 10,97% da população recebia menos de R$ 246 por mês. Com o pagamento do auxílio, esse número caiu para 4,52%. Com o fim do benefício em dezembro de 2020, o índice ficou ainda maior, chegando aos 12,83% em fevereiro de 2021. A situação esbarra ainda no aumento dos preços dos alimentos. Nesse contexto, o fantasma da fome continua a assombrar o Brasil com cada vez mais força.

Dados do IBGE divulgados em setembro do ano passado indicavam que 10,3 milhões de brasileiros conviviam com a insegurança alimentar grave, ou seja, não tinham condições de se alimentar de forma adequada. Isso representa o aumento de 42% no índice de fome grave no País, passando de sete milhões para 10 milhões em cinco anos. Com o colapso da saúde, o desemprego, a alta do valor dos produtos e o fim do auxílio emergencial, teme-se que em 2021 a situação esteja muito pior.

Dessa forma, cada vez mais pessoas dependem da solidariedade das outras para sobreviver. No ano passado, o Inec arrecadou cerca de 442 toneladas de alimentos para o Natal Sem Fome só no Nordeste. Mais de 43 mil famílias e 46 instituições de acolhimento a pessoas em situação de vulnerabilidade social foram ajudadas. Em 2021, de mãos dadas com a Ação da Cidadania mais uma vez, o Instituto mobilizará todos os esforços necessários para a articulação do Brasil Sem Fome, durante todo o ano, de modo a atingirem a meta das doações e minimizar o sofrimento dos que convivem com a fome diária no Brasil.

Além das campanhas em parceria com a Ação da Cidadania e da realização de outros projetos voltados para o desenvolvimento sustentável, o Inec já promove ações de arrecadação e distribuição de gêneros alimentícios durante o ano todo. Desde o início da pandemia, esse trabalho foi reforçado com a mobilização dos mais de sete mil colaboradores do Inec e a ajuda de parceiros. De abril a setembro, foram entregues pela Campanha Ação contra o Coronavírus 53.319 cestas básicas (649 toneladas de alimentos), 50.999 kits de higiene e 17.286 máscaras de proteção facial em toda a região Nordeste e nortes de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Sobre a Ação da Cidadania

A Ação da Cidadania foi fundada em 1993 pelo sociólogo Herbert de Souza, conhecido como Betinho, com o intuito de combater a fome e a desigualdade socioeconômica em nosso país e ajudar os mais de 32 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza naquele ano. Desde sua criação, a ONG deu início a uma série de iniciativas, sendo o Natal Sem Fome a mais célebre delas. Após dez anos sem ser realizada, a campanha voltou em 2017 e, em 2020, ganhou força total para ajudar dezenas de milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza, segundo dados do Cadastro Único do Governo Federal.

 

Sobre o Inec

Fundado em 1993, o Instituto Nordeste Cidadania (Inec) é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) que tem como foco principal o desenvolvimento sustentável de comunidades na região Nordeste do Brasil. Atua por meio de programas de microfinanças e socioambientais nas áreas cultural, de tecnologia e desenvolvimento comunitário, atendendo crianças, jovens e adultos. É parceiro do Banco do Nordeste na operacionalização dos programas Crediamigo e Agroamigo. É a maior operadora de microcrédito da América Latina. Saiba mais em www.inec.org.br.

Veja Mais