Coberturas
Frente Parlamentar visita presídios no Ceará e constata sistema modelo para o Brasil
Home Últimas Notícias Frente Parlamentar visita presídios no Ceará e constata sistema modelo para o Brasil

O Ceará é o quarto estado a ser visitado pela Frente Parlamentar de Desenvolvimento Estratégico do Sistema Penitenciário no Brasil. Na última sexta-feira (25), o presidente da Frente, deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos/AM) e o vice, deputado federal Capitão Wagner (Pros), juntos com outros parlamentares estaduais e vereadores, estiveram nas unidades prisionais, com a visita guiada pelo secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque.

SURPRESA

“Eu e o deputado Capitão Alberto nos surpreendemos. As celas estão sendo ampliadas, sendo abertas entradas de ar, para facilitar a ventilação, já que foram retiradas as tomadas, não permitindo o funcionamento de ventiladores. Vimos que a engenharia está sendo bem aplicada, o local está ficando favorável para que os presos possam ter dignidade, uma melhor luminosidade e ventilação agradável”, contou Capitão Wagner.

De acordo com o deputado, a mudança se deu após a gestão de Mauro Albuquerque que, há dez meses, assumiu o cargo. “Estamos convictos de que o caminho é esse: diminuir o contato do preso com o mundo externo, para que tenhamos um controle sobre eles”, frisou.

MORDOMIAS

“Ano passado, tinha frigobar, ventilador, televisão e uma série de equipamentos eletrônicos, além dos celulares, que, frequentemente, a gente via, nas redes sociais, os presos falando à vontade”, complementou o deputado, pontuando que, além da estrutura, os agentes estão mais motivados devido à formação e armamento adequado.

EXEMPLO

Na mesma linha, o deputado federal Capitão Alberto reconheceu. “O Ceará é o aspecto positivo”.

“Nós queremos levar a boa prática do secretário Mauro. Ele conseguiu colocar ordem na casa. Acabar com essa festa, de dizermos que os presídios são escritórios do crime”, pontuou.

Segundo o parlamentar, até o início da gestão de Mauro Albuquerque, os presídios cearenses arrecadavam cerca de R$ 2 milhões por ano. “As facções pegavam esse dinheiro, investiam em drogas, em armas, e a polícia não conseguia avançar na segurança pública. Não conseguia levar tranquilidade para a população, em função de que a farra era grande nos presídios”, salientou.

A Frente Parlamentar já visitou os presídios de Manaus, Paraíba, e Alagoas.
“Vamos visitar ainda outros estados, levar esse exemplo do Ceará na implementação desse sistema, doutrina, onde o preso está tendo acesso à educação e a cursos profissionalizantes. Além disso, os índices de violência reduziram no Estado”, lembrou.

Capitão Alberto frisou ainda que o Fundo Penitenciário Federal não está sendo aplicado como deveria. “Nós aplicamos só 12%. É um dinheiro da população mal utilizado. Queremos mudar essa legislação para que o dinheiro chegue à conta e possa auxiliar os secretários, para que apliquem nas unidades, tornando o sistema eficiente”, pontuou.

Veja Mais