Últimas Notícias
Vias do Centro de Fortaleza recebem novo limite de velocidade
Home Últimas Notícias Vias do Centro de Fortaleza recebem novo limite de velocidade

 

Como parte da Área de Trânsito Calmo do Centro, a Prefeitura de Fortaleza segue implantando novo limite de velocidade de 30 km/h em vias do bairro. O objetivo é preservar a segurança do pedestre, um dos usuários mais vulneráveis a acidentes que correspondem a 31% dos óbitos registrados no ano passado.

Planejada pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a readequação contempla as ruas situadas dentro do quadrilátero da Duque de Caxias, Imperador, João Moreira, Conde D’eu  e Sena Madureira, além de trechos da Senador Pompeu e Barão do Rio Branco. Vias como Imperador e Duque de Caxias terão velocidade de 50 km/h.

A previsão é de que placas e sinalização horizontal estejam concluídas até o dia 15 de julho. A partir dessa data será dado um período educativo de seis meses para os motoristas se adaptarem à mudança.

“A área central é considerada um importante polo gerador de tráfego pela oferta de comércios e serviços. Registramos nos últimos cinco anos 5.493 mil acidentes por lá. Deste total, 439 foram atropelamentos. 2.838 pessoas ficaram feridas e 47 perderam a vida neste período. Diariamente são realizadas 216 mil viagens, sendo 66% realizada a pé, de ônibus, bicicleta e metrô, fatores que justificam nossas intervenções”, explica a superintendente do órgão Juliana Coelho.

Menor gravidade

As ruas de baixa velocidade salvam vidas e protegem todos os que as utilizam, especialmente os mais frágeis, como pedestres, ciclistas, crianças, idosos e pessoas com deficiência.

Estudos mostram que a partir de 80 km/h é praticamente impossível para um pedestre sobreviver a um acidente. A uma velocidade de 30km/h, o risco de morte de quem anda a pé é reduzido para 10%.

Em Toronto, no Canadá, os acidentes de trânsito caíram 28% desde que os limites de velocidade foram reduzidos de 40 para 30 km/h, o que levou a uma redução de ferimentos graves e fatais em dois terços. Na Colômbia, por exemplo, as fatalidades no trânsito também reduziram 32%.

Veja Mais