Coberturas
Sergio Moro renuncia e deixa o Ministério da Justiça
Home Últimas Notícias Sergio Moro renuncia e deixa o Ministério da Justiça

Sergio Moro fará pronunciamento após exoneração do diretor-geral ...

 

O ex-juiz Sergio Moro não responde mais pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele renunciou ao cargo na manhã desta sexta-feira (24). Moro pediu demissão ao presidente Jair Bolsonaro após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, publicada no Diário Oficial da União desta sexta.

“Tenho que preservar minha biografia e o compromisso que assumi inicialmente com o próprio presidente era o de que seríamos firmes. Um pressuposto para isso é que nós temos que garantir o respeito à lei e à autonomia da Polícia Federal contra interferências políticas”, declarou Moro, durante pronunciamento na manhã desta sexta.

Na ocasião, o ex-ministro ainda fez um balanço das ações desenvolvidas durante a sua gestão no Ministério da Justiça, como o recorde de apreensão de drogas, transferência e isolamento de lideranças do crime organizado, a redução dos índices de violência, bem como o emprego da Força Nacional em todo o território brasileiro. Inclusive, no Ceará.

“Ela (Força Nacional) atendeu a diversas emergências de Segurança Pública nesse período (em que esteve à frente do Ministério), lá no Ceará por mais de uma vez, espalhadas aí em terras indígenas…”, disse. Em fevereiro deste ano, a Força Nacional foi enviada ao estado para reforçar a segurança em meio à paralisação de grupos policiais.

Moro foi alertado por aliados no fim da noite passada de que a saída de Valeixo, escolhido por ele para comandar a PF, poderia ser oficializada no Diário Oficial desta madrugada, enquanto ainda negociava com o Palácio do Planalto sua permanência como ministro.

Para ele, entretanto, “não havia nenhum motivo” que justificasse a saída de Valeixo e a substituição do mesmo por outra pessoa. “Quando se começa a preencher esses cargos técnicos por questões político partidárias, o resultado não é bom pra corporação”, afirmou, alegando que, nos últimos meses, Bolsonaro vinha insistindo na troca do diretor geral da PF.

“Eu disse ao presidente que não tinha nenhum problema em trocar o diretor geral do Polícia Federal, mas eu preciso de uma causa, e uma causa normalmente relacionada a uma insuficiência de desempenho, um erro grave. No entanto, o que eu vi nesse período é que (o trabalho de Valeixo) é um trabalho bem feito”.

Moro disse a Bolsonaro que se demitira na manhã da quinta (23), quando foi informado pelo presidente da decisão de trocar Valeixo. O agora ex-ministro avisou o presidente que não ficaria no governo com a saída do diretor-geral. Bolsonaro então escalou ministros militares para convencer o ex-juiz da Lava Jato a recuar.

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Veja Mais