Coberturas
Projeto Meu Carrinho Empreendedor transforma realidades econômicas em Fortaleza
Home Últimas Notícias Projeto Meu Carrinho Empreendedor transforma realidades econômicas em Fortaleza

Pipoqueiro em carrinho segurando saco de pipocas

O potencial econômico do microempreendedor individual Cristiano da Silva vem sendo transformado desde o ano de 2016. A partir da adesão ao Projeto Meu Carrinho Empreendedor, da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE), vender pipoca e fazer amigos na Avenida Beira Mar de Fortaleza virou a principal fonte de renda de sua família, composta pela esposa e pelo filho de 6 anos do casal.

A iniciativa da Prefeitura oferece, além de um carrinho de pipoca custeado e customizado, capacitações gerenciais e técnicas gratuitas no âmbito da gestão de negócios, das boas práticas de alimentação, da saúde e da segurança no trabalho. “Vendo pipoca aqui na Avenida Beira Mar desde 2014. À época, meu carrinho era mais simples. Em 2016, com o Projeto Meu Carrinho Empreendedor, troquei meu instrumento de trabalho, formalizei-me, capacitei-me e virei um microempreendedor individual. Isso vem nos provar que pequenos empreendedores, pessoas da periferia como eu, também têm chance no mercado”, relata Cristiano.

O talento de Cristiano para as vendas vem sendo aprimorado há cerca de 5 anos. No entanto, a partir das capacitações oferecidas pela Prefeitura de Fortaleza em parceria com o Sebrae Ceará, o bem-humorado vendedor descreve o impacto em suas vendas. “É muito importante adquirir noções de como vender, como se comportar em público e de como fazer o cliente voltar. Em um ambiente como a Beira Mar, em que as opções são diversas, encontrei uma forma de me reinventar. Depois do projeto, também com a ajuda das redes sociais, minhas vendas aumentaram em 100% nos meses de julho, dezembro e janeiro. Em baixa estação, o aumento também foi positivo, de 30 a 40%”, estima.

Dentre os diferenciais oferecidos, destacam-se, além da atenção à higiene, a variedade de coberturas disponíveis para incrementar a pipoca, que custa de R$ 3,00 a R$ 5,00 o pacote. O valor, que pode ser pago por meio de cartões de crédito e débito, inclui álcool em gel, acesso à internet gratuita e um kit com luvas, guardanapo, palito de dente e bombom.

“Aqui tem sabor para todos os paladares. Caramelo, chocolate, leite condensado, manteiga, sal do Himalaia, queijo ralado, ketchup, molhos diversos e cheddar. Quem manda é o cliente. Levo tudo muito a sério. Aqui é como uma empresa minha. Ofereço também cardápio bilíngue, embalagens personalizadas, cartão fidelidade e brindes. A partir de R$ 10 em compras, você gira a roleta e ganha um prêmio”, acrescenta Cristiano no momento da venda. As estudantes Yone Melo e Elen Sousa aprovaram a novidade.

Paralelamente, a capacitação ofertada rendeu a Cristiano noções de educação financeira. “A pipoca rende um lucro alto. Você ganha um valor bem acima do investido. Se eu invisto R$ 30,00 e ganho R$ 100,00, tenho uma margem de R$ 70,00. Mas desse valor, uma parte precisará ser novamente investida. Com essa noção, consigo arcar com as minhas despesas e entender qual o meu lucro real”, ressalta.

A Prefeitura de Fortaleza já entregou 150 carrinhos para empreendedores pipoqueiros da Cidade. A expectativa é de que o projeto seja expandido ainda em 2019. “A minha satisfação é em passar para as pessoas que, com um carrinho de pipoca, você pode empreender. Você tem que levar a sério, fazer as coisas com amor e se destacar”, finaliza Cristiano.

Veja Mais