Coberturas
Prefeitura de Fortaleza realiza quinto webinário temático do Plano Diretor Participativo 2020
Home Últimas Notícias Prefeitura de Fortaleza realiza quinto webinário temático do Plano Diretor Participativo 2020

print de tela da live com fotos dos participantes e da apresentação com o tema escrito no topo

A Prefeitura de Fortaleza realizou, na última  quarta-feira (22/07), o quinto webinário temático do Plano Diretor Participativo 2020. A edição, transmitida via plataforma interativa digital, abordou o tema Desenvolvimento Econômico Sustentável e Inclusivo. A iniciativa visa à construção de metodologia colaborativa que atenda, a partir do diálogo com a sociedade civil, às necessidades da população em áreas prioritárias da administração pública.

Revisto a cada 10 anos, em conformidade com o Estatuto das Cidades, o Plano Diretor busca promover o desenvolvimento estratégico, periódico e democrático da Capital. Debatendo pautas pertinentes à proposta, os arquitetos e urbanistas Luciano Ramos e Márcia Gadelha, em diálogo com o economista Fábio Sobral, enriqueceram a discussão.

Representando o setor produtivo, Luciano Ramos iniciou o ciclo de palestras. “Esta é uma oportunidade para coletar informações, visões e opiniões para a gestão e o planejamento da Cidade, um tema tão caro aos cidadãos. As mudanças são exponenciais. A própria pandemia impôs provocações significativas e imprevisíveis. Cada cenário traz possibilidades e desafios”, introduziu, contextualizando o desenvolvimento à luz de aspectos históricos, explanando a evolução da era industrial à era digital.

O especialista também defendeu o estímulo às políticas inclusivas e sustentáveis. “Planejar a Cidade não é gerar um modelo perfeito. É conciliar o desenvolvimento e a sustentabilidade, promovendo, por exemplo, a integração entre as construções e os seus entornos. A Cidade é de todos. Direitos e deveres não são restritos a um só segmento”, considerou.

Ramos apontou, ainda, a necessidade do cumprimento de diversas premissas. “É preciso conciliar a transparência, a colaboração, o compartilhamento e a economia de credibilidade. Vivemos em um cenário ainda excludente, em que se observa um abismo entre classes sociais. Portanto, revisar o Plano Diretor, em perspectiva inclusiva, requer sensibilidade, mobilização, compromisso e estratégia”, afirmou, destacando a importância dos investimentos em caminhabilidade e em áreas verdes.

Fábio Sobral, por sua vez, reiterou a necessidade da expansão de oportunidades. “É preciso repensar a relação entre a Cidade e os seres que a habitam, promovendo redistribuição de renda, qualificação profissional e tecnológica, integração cultural e artística. Além disso, é preciso recuperar o solo e as áreas degradadas, aproveitando devidamente o lixo orgânico. Dessa forma, será construída uma Cidade mais humana, menos agressiva, mais agradável e mais viva”, opinou.

Por fim, sobre o âmbito da habitação, Márcia Gadelha destacou a importância da democratização de assentamentos seguros, resilientes e sustentáveis. “A habitação é o centro da relação entre o espaço e a sociedade. A construção civil inclusiva e sustentável é pautada pela reprodução de forças de trabalho e pelos investimentos de capital, que transformam realidades. É preciso continuar investindo em qualidade de vida coletiva. Isso deve respeitar diversidades e incluir tipologias diferenciadas, infraestruturas, serviços, ocupações, urbanização de comunidades, políticas educacionais, além de estratégias qualificadas de mobilidade urbana”, listou.

A Urbanista destacou, também, a importância de se observar as orientações estabelecidas pelas Nações Unidas. “Temos objetivos para transformar o mundo. Isso envolve cidades e comunidades sustentáveis. É preciso focar em habitações seguras e adequadas a preços acessíveis. A habitação de cunho social sempre foi uma grande demanda, a exemplo do que observamos no Minha Casa, Minha Vida”, acrescentou.

Interação e diálogo transversal

Após as explanações individuais, o público que assistia ao debate pôde interagir com os palestrantes em tempo real, fazendo comentários e enviando perguntas relacionadas à realidade de Fortaleza em suas diversas dimensões.

Revisão do Plano Diretor

A ação atende às estratégias definidas pelo Plano Fortaleza 2040, alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e articuladas por meio de instrumentos de planejamento municipal, como Plano de Governo, Planos Setoriais, Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA).

Veja Mais