Coberturas
Entidades públicas e privadas apresentam o Elmo, que já está na fase final de testes em pacientes internados por Covid-19
Home Últimas Notícias Entidades públicas e privadas apresentam o Elmo, que já está na fase final de testes em pacientes internados por Covid-19

O presidente da FIEC, Ricardo Cavalcante; o superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, Marcelo Alcântara; o reitor da UFC, Cândido Albuquerque, e o secretário de Saúde do Estado, Dr. Cabeto, comandaram a apresentação do capacete de respiração assistida,  na última quinta-feira (25). Batizado de Elmo, o equipamento foi desenvolvido pelas equipes do Senai Ceará, UFC, Unifor, Senai-CE, ESP-CE, Esmaltec, Sesa e Funcap.

O capacete ventilatório idealizado pelo médico Marcelo Alcântara, já está em testes clínicos desde terça-feira, em pacientes infectados pelo novo coronavírus e que estão internados no Hospital Leonardo da Vinci. O procedimento prossegue até o fim da próxima semana, para concluir a última etapa da testagem.

Esse período e os testes com pacientes são exigências da Anvisa para que o capacete possa ser produzido em escala industrial. Uma mulher de 77 anos, com insuficiência respiratória por pneumonia causada pela Covid-19, foi a primeira pessoa a utilizar o equipamento desenvolvido o Ceará.

“Obtivemos resultados preliminares satisfatórios já na primeira paciente que testou o Elmo. Nos primeiros minutos, a saturação aumentou de 90 para 96 a 97%. É importante deixar claro que não uma solução para a cura da Covid-19, mas se dúvida, será um grande legado para a saúde no Estado e o tratamento de doenças respiratórias”, disse Alcântara.

A FIEC, por meio do Senai-CE, está no projeto desde o início, tendo sido o protótipo do Elmo desenvolvido no Instituto Senai de Tecnologia em Eletrometalmecânica. Para o presidente da Federação, a testagem em pacientes é muito relevante. “Esse momento em que o Elmo chega para os testes já em hospital é de extrema importância e representa a esperança de vermos centenas de vidas salvas”, afirmou Ricardo Cavalcante.

O capacete prevê a utilização de um mecanismo de respiração artificial não-invasivo, sem necessidade de o paciente ser intubado, com maior segurança também para os profissionais de saúde. A Unifor participa da iniciativa em três frentes: projeto das peças do capacete, testes de validação do protótipo e integração das ações com as empresas do Grupo Edson Queiroz.

O Elmo é capaz de reduzir a necessidade de respiradores pulmonares artificiais, pois trata-se de uma oxigenoterapia do paciente, que inala oxigênio puro e não re-inala o CO² produzido, que tampouco é expelido no ambiente, evitando a contaminação de outras pessoas.

 

Fonte: Baladain

Veja Mais