Coberturas
Consultor do Senac dá dicas de como minimizar o impacto nas pequenas empresas
Home Últimas Notícias Consultor do Senac dá dicas de como minimizar o impacto nas pequenas empresas

Você que é do comércio deve estar preocupado com o impacto do novo Covid-19 (Coronavírus) na economia. Se você é profissional autônomo, é um micro empreendedor individual (MEI) ou tem uma micro ou uma pequena empresa, já deve ter sentido as mudanças nos negócios nesse período de isolamento social, necessário para conter o avanço da pandemia.

Medidas práticas e inovações podem ser adotadas para minimizar esse impacto. Quem dá as orientações é o consultor de produtos educacionais do Senac Ceará na área de Gestão e Negócios, Wagner Forte, na entrevista abaixo.

Quais são as principais dicas para as pequenas empresas se manterem no mercado diante do cenário imposto pelo Coronavírus? 

Diante deste cenário, o mais importante é não tomar uma decisão precipitada, o que não significa lentidão. Muito pelo contrário, as empresas que irão sobreviver serão as que se adaptarem mais rápido. Porém, é preciso primeiramente analisar onde a empresa está inserida e quais produtos e serviços podem ser adaptados. A partir daí, é possível planejar como fazer essa adaptação a baixo custo, só assim poderá ter sucesso.

Vale lembrar que essa é uma crise sem precedentes, ou seja, não há experiência anteriores para indicar como proceder. Ao mesmo tempo, é uma oportunidade única para agir com criatividade e pensar. Um dos principais questionamentos que o profissional autônomo, gestor ou empresário deve fazer é: já que meu cliente não pode vir até a minha empresa, como posso chegar até o meu cliente com segurança?

Uma solução de baixo custo é a criação de perfis da empresa nas principais mídias sociais (Instagram e Facebook), pois assim tem como informar o cliente sobre os produtos e serviços que está ofertando e a forma como o cliente pode ter acesso. Isso sem esquecer de informar os procedimentos de higienização que a empresa adota para garantir a segurança de colaboradores e clientes, impedindo a propagação do Coronavírus.

É importante destacar ainda que, ao divulgar o produto ou serviço, a sua empresa deve estar preparada para atender os clientes, desde o recebimento do pedido, incluindo disponibilidade de forma de pagamento, separação do produto, entrega e pós-venda (satisfação do cliente).

  1. Sobre vendas online, especificamente, o que é fundamental conhecer sobre o assunto para começar a atuar esse modelo de negócio? 

Para aquelas empresas que ainda não ingressaram nas vendas online, é importante que o empresário conheça seu público-alvo (clientes) para ser mais assertivo na divulgação nas redes sociais, além de ter uma plataforma de venda online.

Temos uma grande variedade de plataformas de comércio eletrônico, mas o que vem a ser isso? Uma plataforma de comércio eletrônico é um aplicativo de informática que possibilita que a empresa personalize seu site na internet ao mesmo tempo que faz a gestão das vendas em um só local, bem como, é utilizado para divulgar os produtos e serviços e executar as transações comerciais (venda dos produtos). Pela plataforma, o empresário pode acompanhar suas vendas, publicar conteúdo e produtos, ter uma análise de suas vendas e muito mais. Com a plataforma de comércio você pode: gerenciar os produtos de sua empresa, realizar promoções e ofertas de produtos, obter informações sobre seus clientes até para saber qual seu produto é mais procurado e por quê.

Para adquirir esse serviço o empresário tem que avaliar as diferentes plataformas disponíveis no mercado e buscar a que mais se adequa às necessidades e ao perfil do seu negócio. Para aqueles que não desejam aderir a uma plataforma de comércio eletrônico, é indicado, pelo menos, disponibilizar um canal de atendimento para os clientes, podendo ser até o WhatsApp.

  1. Para além dos negócios “Online” (redes sociais e plataforma de vendas), o que pode e deve ser feito em termos de organização e planejamento na empresa? 

Primeiro, o dever de casa. É essencial conhecer todos os custos de seu negócio, para determinar quais os custos essenciais para continuar operando e custear e/ou reduzir os demais.

Também tem que saber negociar com seus fornecedores, pois neste momento de queda do faturamento o empresário tem que ter fôlego para manter os gastos e despesas que não podem ser adiados, ou seja, negocie melhores prazos com seus fornecedores.

E se você, empresário, tem funcionários não pode deixar de cuidar deles, pois com certeza seus colaboradores são os maiores interessados em que sua empresa tenha sucesso, pois se trata uma questão de sobrevivência para eles. Por exemplo, se sua empresa é um comércio e tem vendedores, agora você tem um comércio eletrônico. A dica é atribuir novas funções aos seus vendedores de atendimento direto, direcionando para separar, embalar e entregar os produtos, sempre priorizando a segurança em todos os processos.

Veja Mais